Cuidado com o Câncer de testículo

Cuidado com o Câncer de testículo

Com certeza você já ouviu falar de câncer não é mesmo? Mas já leu ou se informou sobre o câncer de testículo? Não? Então este artigo é para você!

Mesmo não sendo tão divulgado quanto outros tipos de câncer masculino (estatísticas apontam que ele representa apenas 1% dos tumores que afetam os homens), como o câncer de próstata, ele é tão agressivo e preocupante como qualquer outra variação da doença caso não for descoberto e tratado a tempo.

O que preocupa muito os especialistas é que estudos na área da oncologia apontam que a incidência de câncer de testículo tem aumentado exponencialmente nos últimos anos.

Quer se prevenir? Leia este artigo até o fim e descubra tudo que selecionamos para você sobre o câncer de testículo.

Entendendo o perigo do câncer de testículo

Os testículos estão localizados no corpo masculino dentro da bolsa escrotal e sua função é a produção dos espermatozoides e também da  testosterona, o hormônio sexual masculino

Este tipo de câncer  acomete especialmente o grupo de homens adultos jovens na faixa etária dos 20 e 40 anos, brancos, época da vida de maior atividade sexual e reprodutiva.

O câncer de testículo é tão perigoso pois os sintomas que ele apresenta podem ser facilmente ser confundidos com outras afecções menos perigosas da área testicular.

Como muitos desses sintomas são provavelmente causados por outros quadros clínicos e não pelo câncer no testículo, várias condições não cancerosas, como uma simples lesão testicular ou uma inflamação, podem sim provocar sintomas muito parecidos com o câncer de testículo. 

Complicado né? Mas veja só: uma orquite (inflamação do testículo) ou uma epididimite (inflamação do epidídimo) podem causar inchaço e dor do testículo. E essas duas infecções  também podem ser causadas por quadros virais ou bacterianos.

Aí que mora o perigo, pois o que pode ser sim um câncer de testículo muitas vezes pode ser confundido com algo menos grave e desta forma o câncer vai piorando e consequentemente dificultando o tratamento.

Para alguns homens porém, o câncer de testículo  não apresenta qualquer sintoma e acaba por ser diagnosticado sem querer durante a realização de exames e imagens solicitados para outros problemas de saúde. 

Por isso, se você tiver algum desses sintomas não espere e consulte um médico logo, pois mesmo que possam ser sinais outras doenças, se a causa for mesmo um tumor testicular, quanto mais rápido souber o diagnóstico e iniciar o tratamento, maior a chance de sucesso.

Conheça agora os sintomas e fique esperto!

Sintomas do câncer de testículo:

sintomas câncer testículo
sintomas câncer testículo
  • Apresentação de nódulo ou inchaço no testículo:

A ampla maioria dos casos de câncer de testículo, tem quadro sintomático de nódulo em um dos testículos ou mesmo o testículo aumentado ou inchado. 

O nódulo pode provocar dor ou não, sendo que na maioria das vezes não é doloroso. O homem também pode notar uma sensação de peso ou dor abdominal ou até na região escrotal.

  • Crescimento ou dor na mama:

 

Mas o que a mama tem a ver com o assunto? TUDO!

Pois é amigo, mas em casos muito raros, os homens com câncer de testículo podem notam a região mamária dolorida ou aumentada. Mas por que?

Quando este sintoma ocorre é porque alguns tumores de células germinativas (já vamos te explicar no próximo item o que é)  secretam no organismo do homem altos níveis do hormônio gonadotrofina coriônica (HCG).

Este hormônio é aquele que estimula o desenvolvimento da mama e que aumenta perpendicularmente no organismo da mulher que está grávida.

  • Puberdade precoce:

 

Alguns tumores mais raros, chamados de células de Leydig e de Sertoli podem produzir andrógenos (hormônios sexuais masculinos). 

Os tumores produtores de andrógenos em geral não provocam sintomas específicos em homens adultos, mas em meninos podem provocar sinais de puberdade antecipada, como o crescimento de pelos faciais e corporais em uma idade muito precoce.

A principal característica do câncer de testículo é a presença de massa escrotal ou de um nódulo endurecido e indolor no testículo, geralmente  situado com mais frequência do lado direito.

Há certos homens que apresentam dor intensa nos testículos que é causada hemorragia interna no local, mas isso ocorre em casos muito raros.

Sinais de que o Câncer de Testículo está em estágio avançado

tumor testículo

O câncer de testículo em alguns casos  pode não apresentar sintomas de imediato, mesmo se a doença tenha causado metástase em outros órgãos. Mas, alguns homens com câncer de testículo avançado e agressivo podem ter sintomas como:

  • Dor na parte inferior das costas aponta que o câncer possa ter se disseminado para os gânglios linfáticos da região abdominal
  • Quando o homem apresentar falta de ar, dor torácica, tosse  ou até mesmo expectorar sangue podem ser sinais de metástase pulmonar
  • Se for dor abdominal, pode ter ocorrido metástase no fígado
  • No caso de haverem dores de cabeça ou confusão mental, há a hipótese de disseminação do câncer para o cérebro

Na dúvida, SEMPRE busque auxílio médico ok?

Tipos de câncer de testículo 

Lembra do lance das células germinativas do item acima? Agora vc vai entender!

O câncer de testículo também é chamado de tumor de células germinativas pela literatura médica, subdivide-se em três grupos:

  • Primeiro grupo: engloba o tumor germinativo não seminomatoso, que é o que apresenta um caráter mais agressivo.

 

Correspondem em média a 60% de todos os tumores de testículo e surgem antes dos 30 anos de idade.

Podem ser dos seguintes subtipos:carcinomas embrionários, coriocarcinomas, tumores do saco vitelínico, teratomas imaturos e teratomas maduros.O teratoma maduro é um tumor benigno, enquanto os demais subtipos são malignos.  

  • Segundo grupo: é que entra o tumor germinativo seminomatoso, de crescimento mais lento e menos agressivo que o do grupo anterior.

 

Complementam entre 35 e  40% dos tumores de testículo e em geral aparecem entre os 30 e os 40 anos de idade. 

Os seminomas dividem-se em três subtipos: clássico, anaplásico e espermatocítico. O último é mais comum em pacientes mais velhos e é muito raro formar metástases pós cirúrgicas.

 

  • Terceiro grupo: Além desses dois grupos supracitados, existe também um terceiro grupo de tumores de testículo que é bastante raro que é constituído por linfomas, sarcomas e pelo tumor de Sertoli e Leydig

 

Estes tipos contabilizam 5% do total de casos de câncer testicular.

Causas do câncer testicular e fatores de risco

A literatura médica e as pesquisas na área da saúde ainda não conseguiram definir uma causa para o câncer de testículo, mas alguns fatores de risco podem estar associados ao aparecimento ou não da doença. 

Uma causa possível é a condição clínica da criptorquidia, quando o testículo permanece fora da bolsa escrotal depois do nascimento. 

Outros possíveis fatores de risco são algumas síndromes genéticas raras, bem como traumas crônicos e histórico familiar de câncer testicular, o fator hereditário.  

Estudos recentes apontam um pequeno risco de câncer de testículo em pessoas com histórico familiar desta condição.

Como é feito o diagnóstico do câncer de testículo?

Para fins de diagnóstico o exame mais solicitado para confirmar o câncer de testículo é a ultrassonografia, já que ela pode revelar a existência do tumor, mesmo que ele ainda seja pequeno e não palpável.

Além disso, a o ultrassom do testículo também auxilia o profissional médico a apontar se há relação ou não com outros órgãos vizinhos promovendo um diagnóstico diferenciado e com maior nível de precisão.

O médico pode solicitar também  exames laboratoriais de sangue para avaliar os marcadores tumorais:

  • Beta HCG 
  • DHL
  • Alfa-fetoproteína

 

Estes marcadores são muito úteis na fase do diagnóstico, bem como durante o tratamento e mesmo após este. A biópsia do nódulo também é requisitada em alguns casos.

Câncer de testículo tem tratamento? 

tratamento câncer testículo

Tem sim! E quanto antes for descoberto, maior a chance para cura total. O tratamento é cirúrgico e também quimioterapia ou radioterápico dependendo do caso.

O tratamento se inicia com  a cirurgia realizada por via inguinal (orquiectomia radical) com o objetivo de remover o testículo afetado. Pode haver a colocação de uma prótese no local dependendo do caso e da orientação médica. 

A recuperação cirúrgica costuma ser bem rápida e se a remoção for de um dos testículos apenas não há comprometimento da potência sexual.

Porém, em casos mais agressivos e severos, que podem causar metástases ou até mesmo para evitar acometimento ao outro testículo, o paciente pode precisar passar por sessões quimioterapia ou radioterapia, ou até mesmo ambas combinadas.

O efeito colateral do tratamento é a infertilidade definitiva ou temporária. Desta forma, os urologistas costumam recomendar que após a retirada do testículo, seja feita a colheita e armazenamento de esperma num banco para esse fim. 

Isso é recomendado para pacientes que ainda não tem filhos, ou para quem já tem e quer ter mais futuramente. 

Mesmo nos casos de câncer de testículo que causem a infertilidade temporária, os médicos recomendam que a pessoa só venha a ter filhos após dois anos do fim do tratamento com quimioterapia ou radioterápico, a fim de evitar possíveis sequelas no feto.

Quando se fala de saúde é sempre assunto sério não é mesmo? Então fique atento e se tiver algum sintoma suspeito, vá correndo para o médico.

O Vac Extensor está sempre preocupado com sua saúde, por isso trazemos conteúdos para o bem estar masculino!

 

Fique ligado no nosso blog e até a próxima!

Deixe uma resposta