Inflamação do Pênis – Causas, Diagnóstico, tratamento

Inflamação do Pênis – Causas, Diagnóstico, tratamento

O seu pênis esta com algumas inflamação?

O pênis é uma das regiões mais sensíveis do nosso corpo e sempre um motivo de preocupação quando sentimos que algo parece estar errado.

Muitas vezes uma dor no pênis pode não ser nada preocupante, mas é sempre bom buscar auxílio médico caso seja muito intensa ou persistente.

 

No caso do pênis inflamado, o normal é que isto aconteça devido a uma infecção bacteriana, prostatite ou fimose, entre outras condições. Qualquer homem pode passar pela inflamação do pênis. O problema é mais comum do que se imagina.

Nosso artigo vai mostrar a você  quais são as causas, sintomas, diagnóstico e qual é o melhor tratamento as inflamações do pênis

Dor no pênis. O que pode ser?

A inflamação peniana pode responder a diversas causas. Ainda que os diferentes esquemas terapêuticos possam ser bastante simples, é fundamental que um urologista ou um dermatologista faça o diagnóstico diferencial e indique o tratamento adequado.

 

Em geral, as inflamações do pênis são causa mais freqüente de visitas de homens a consultórios médicos.

Mas é sempre bom lembrar que existem muitas outras doenças que podem levar o homem a uma consulta com o médico urologista ou dermatologista.

A inflamação do pênis pode estar associada a doenças de outros tipos, como:

  • dermatite seborréica;
  • lúpus eritematoso sistêmico;
  • lúpus discóide;
  • psoríase;
  • úlceras genitais;
  • herpes simples ou herpes zóster;
  • sífilis primária;
  • ptiríase rosada;
  • doença de Bowen;
  • doença de Paget extramamária;
  • infecções dermatológicas bacterianas, virais ou micóticas (causadas por fungos);
  • reações alérgicas;
  • doenças sexualmente transmissíveis;
  • escabiose;
  • infecções por levedura;
  • uretrite, entre outros.

 

A  lista de doenças que manifestam-se através de processos inflamatórios do pênis é extremamente ampla, e o mesmo pode-se dizer dos seus tratamentos.

Por isso NUNCA se automedique, já que somente um médico poderá chegar a um diagnóstico concreto e seguro que indique qual é a afecção que está causando a inflamação peniana e que possa recomendar o tratamento mais adequado e eficaz.

Como é feito o diagnóstico da inflamação do pênis?

Para realizar o diagnóstico da inflamação peniana normalmente o médico examina o pênis e toda a área genital masculina. Ele também fará perguntas sobre a vida sexual, hábitos alimentares e estilo de vida.

O médico também poderá solicitar um teste de diabetes ou exames de sangue: hemograma, glicose, colesterol, etc… Além de solicitar também testes de DSTs e de infecções por levedura.

Quando devo ir ao médico?

Procure o atendimento e aconselhamento de um urologista quando sentir dores no pênis, especialmente se não existir uma causa aparente. SEMPRE PROCURE UM MÉDICO

Principalmente se a dor for intensa e prolongada por muitos dias (mais de 3 dias) sem melhora.

De norma comum os sintomas começam a incomodar do segundo ao terceiro dia após a relação sexual.

Confira abaixo os sintomas mais comuns da inflamação do pênis.

Sintomas da Inflamação Peniana

A inflamação do pênis pode ser agente de contágio para outras doenças, já que o organismo fica debilitado e vulnerável.  Além disso é aconselhável ir o mais rápido possível ao médico se surgirem sintomas como:

  • Sangramento;
  • Saída de pus pelo pênis;
  • Febre alta;
  • Saída de secreção sob o prepúcio;
  • Coceira muito intensa;
  • Inchaço do pênis e da virilha;
  • Dor ou queimação ao urinar;
  • Mau cheiro;
  • Presença de corrimento branco;
  • Feridas no pênis;
  • Dor na região genital;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Vermelhidão na cabeça do pênis.

Muitas vezes a experiência do médico ao examinar a lesão, junto com o histórico clínico e os antecedentes do paciente são suficientes para chegar a um diagnóstico correto.

Porém, nos casos em que estes não são suficientes, é possível recorrer a diferentes testes cutâneos e sanguíneos para confirmação do diagnóstico.

Procure imediatamente o médico se estiver padecendo de qualquer dessas afecções, mesmo que seja apenas para aliviar o desconforto com remédios analgésicos, mas principalmente para que ele avalie se pode ou não ser um quadro mais severo.

Formas de tratamento da inflamação do pênis

Entre os tratamentos mais utilizados figuram:

  • Circuncisão (mostra-se necessário em alguns casos);
  • Criar bons hábitos de higiene na região genital;
  • Tratamentos com medicamentos via oral com antibióticos, antifúngicos e antipruriginosos para alívio da coceira;
  • Tratamentos com agentes esteróides (corticóides como a Hidrocortisona que podem ser usados em todos os casos para melhora dos sintomas);
  • Tratamentos tópicos com cremes e pomadas anti fúngicas (Nistatina, Clotrimazol ou Terbinafina, usadas para tratar o excesso de fungos);
  • Tratamentos com pomadas antibióticas (Clindomicina ou Mupirocina, utilizadas nos casos de infecção por bactérias).

 

É absolutamente normal nesses casos que o médico precise fazer uma limpeza da área que fica sob o prepúcio, para determinar o agente inflamatório, e ele irá ensinar o paciente como deve ser feita a higiene adequada desta área a fim de evitar novos contágios.

 

Lembramos também que a circuncisão poderá ser realizada somente se o prepúcio ficar bem apertado ao redor da área da glande do pênis. O profissional urologista determinará os casos em que isso será necessário.

 

É extremamente importante que o tratamento seja sempre indicado por um médico, já que a utilização inadequada ou errônea dos medicamentos antibióticos e anti inflamatórios possibilitam a aparição de microorganismos resistentes à fórmula medicamentosa, podendo piorar o quadro infeccioso.

 

Para o caso de tratamentos com corticoides  é importante evitar a utilização prolongada já que podem ocasionar atrofias da pele, especialmente um tipo de pele fina como a que recobre a glande. Para evitar estes efeitos adversos, a administração de corticóides não deve exceder duas semanas.

Se ainda assim, os sintomas continuarem ou voltarem a surgir é necessário avaliar a presença de algum tipo de alergia, que pode estar sendo causada por um sabão específico ou outro produto de higiene, por exemplo. Nesses casos, deve-se evitar a substância que provoca a alergia, para aliviar de vez os sintomas.

 

No caso em que a inflamação peniana é causada por efeito colateral proveniente de algum medicamento, sempre que seja possível, deve-se suprimir sua administração e substituí-la por outro tratamento que não cause estes efeitos colaterais.

Tipos de inflamação do pênis

As inflamações penianas podem ser de três tipos distintos. São elas:

  • Balanite;
  • Postite;
  • Balanopostite;

Balanite

A balanite é uma  inflamação que acontece na glande do pênis. Este processo inflamatório atinge a cabeça do pênis que, por sua vez, quando atinge o prepúcio, passa a se chamar de balanopostite, e provoca sintomas como:

  • vermelhidão;
  • coceira;
  • inchaço da região.

 

Esta inflamação, na ampla maioria dos casos, é causada por uma infecção pelo fungo Candida albicans ( o fungo que provoca a candidíase), mas também pode acontecer por uma infecção bacteriana ou, simplesmente, devido a uma reação alérgica a algum tipo de tecido da cueca ou também por algum produto de higiene utilizado na região do pênis.

Outra fator que pode causar a balanite são as  DST’S (doenças sexualmente transmissíveis). Além disso, algumas doenças de pele, como eczema ou psoríase, também podem surgir na região íntima, causando a balanite.

A principal causa de balanite, conforme dito, é a candidíase, que acontece quando o fungo Candida albicans consegue se desenvolver em excesso e causar uma infecção nas camadas mais superficiais do pênis.

A maior parte das balanites pode ser tratada apenas com a higiene adequada da região e o uso de cuecas de tecido de algodão, evitando tecidos sintéticos, pois estes impedem que a pele respire.

No entanto, quando os sintomas não melhoram o médico pode ajudar a identificar a causa e iniciar um tratamento mais específico, para os casos de infecção de origem bacteriana ou fúngica.

Depois de finalizado o tratamento, para evitar que a balanite volte a se manifestar  deve-se manter o pênis sempre limpo e seco, evitando o uso de produtos que possam causar irritação na pele e procurar usar preservativo em todas as relações sexuais, para diminuir o risco de doenças transmissíveis.

 

Embora possa acontecer em qualquer homem ou criança, a balanite é mais frequente em quem não fez circuncisão, ou em quem apresenta a condição da fimose, uma vez que existe maior facilidade para acumular sujeira e bactérias debaixo da pele do prepúcio.

Em alguns casos mais severos, pode ainda tornar-se difícil puxar a pele que cobre o pênis, pois esta fica mais inchada e apertada devido à inflamação, portanto, não hesite em buscar auxílio médico quando perceber os sintomas.

Quando surgirem os primeiros sintomas de balanite é de extrema importância consultar o urologista, no caso do homem, ou levar ao pediatra, no caso da criança, para iniciar o tratamento com pomadas adequadas e acabar com o desconforto.

 Postite

A postite é a inflamação que ocorre no prepúcio.

A postite ocorre quando há o aprisionamento de secreções no prepúcio e como elas não conseguem ser eliminadas adequadamente, elas tendem a causar um processo infeccioso.

As principais causas são realmente por infecções e incluem nesta gama:

  • Líquen plano;
  • Psoríase;
  • Dermatite seborreica;
  • Balanite xerótica obliterante.

Balanopostite

A balanopostite é uma inflamação que acontece de forma simultânea, quando atinge tanto o prepúcio, como também a glande do pênis.

Os homens que passam pelo problema de inflamação de balanopostite possuem uma maior probabilidade de apresentarem futuramente os problemas de: parafimose ou fimose, que são problemas que atingem diretamente o prepúcio, além de terem uma tendência ampliada para desenvolverem o temido câncer peniano.

O tipo de infecção do pênis que chamamos de balanopostite de forma geral começa com a balanite, para os casos onde esta não é curada adequadamente, ou em casos de balanite recorrente.

A evolução da infecção começa com mais frequência para os homens que possuem diabetes mellitus e que tendem a ter o prepúcio muito apertado.

 

Balanopostose

A balanopostose, é uma causa de inflamação peniana que afeta em particular os meninos com demasiada freqüência..

A balanopostose é o nome que a medicina dá a uma série de infecções que costumam afetar os meninos que sofrem de fimose.

 

A fimose nada mais é do que uma incapacidade de retrair o prepúcio, que por consequência gera uma cavidade fechada entre o prepúcio e a glande, onde acumulam-se resquícios de urina e disso decorre uma descamação da pele.

O resultado desta combinação é a formação de um meio de cultura perfeito para as bactérias que produzem processos inflamatórios no pênis.

O tratamento da balanopostose, mesmo quando utilizados medicamentos e pomadas tópicas com agentes anti inflamatórios para que a inflamação ceda, esta inflamação na maioria das situações deve ser resolvida por método cirúrgico ou com exercícios que permitam exteriorizar a glande.

Lesões dermatológicas penianas e sua relação com inflamação do pênis

As lesões na pele do pênis tem muita relação com processos inflamatórios, já que estes podem estar associados.

Portanto é importante conhecer as distintas formas que pode adquirir uma lesão dermatológica peniana:

 

  • Mancha: lesão plana com menos de meio centímetro.
  • “Patch”: lesão plana com mais de meio centímetro.
  • Placa: lesão palpável em relevo, com mais de meio centímetro.
  • Vesícula: lesão que contém líquido, com menos de meio centímetro.
  • Pústula: vesícula com líquido purulento em seu interior.
  • Ampola: lesão com líquido em seu interior, com mais de meio centímetro.
  • Erosão: lesão na qual falta a superfície da epiderme.
  • Úlcera: lesão na qual há perda de epiderme e derme.
  • Urticária: edema cutâneo acompanhado de uma lesão circunscrita
  • Escara: esfoliação da superfície cutânea.
  • Crosta: escara

 

Além das mostradas acima, um grupo muito particular de lesões inflamatórias penianas são as úlceras genitais, tanto por suas características clínicas como por seu aspecto contagioso.

Nesta condição entram: o herpes simples e a sífilis primária, o cancroide e o granuloma. Todos estas formam parte do grupo de DST’s, ainda que algumas delas admitam outras vias de contágio, não unicamente a sexual.

As infecções que afetam a região da uretra, como por exemplo a gonorreia, também são causas comuns de inflamação do pênis .

Para um tratamento adequado e correto é necessário agrupar as uretrites em dois tipos: gonocócicas e não gonocócicas.O sintoma característico que permite realizar esta distinção é a presença da secreção purulenta, que acompanha o primeiro tipo (provenientes da gonorreia) e que costuma não ocorrer no segundo.

 

Inflamação do pênis por medicamentos

Outra causa muito freqüente de inflamações penianas são o uso indiscriminado ou recorrente de certos tipos de medicamentos. A administração por via parenteral ou por via oral de:

  • barbitúricos;
  • medicação hormonal;
  • fenobarbital;
  • tetraciclinas;
  • salicilatos;
  • anti-inflamatórios não esteroides;

 

são uma causa muito comum de erupções penianas e consequentes inflamações da região. Estas últimas costumam adotar a forma de erupções solitárias, placas e em alguns casos específicos, erosões.

Se você notar algo diferente no seu pênis, não hesite em ir ao médico.

Nós da equipe Vac Extensor apoiamos o bem estar masculino. Por isso acompanhe nossas matérias sobre a saúde do homem.

 

Deixe uma resposta